5.3

GESTÃO E DESEMPENHO

5.3.1 SOCIAIS

No âmbito do eixo da estratégia da sustentabilidade da REN que diz respeito ao bem-estar interno, são muitos os indicadores recolhidos ao longo do ano de 2016 que permitem aferir o impacte das medidas tomadas neste sentido.

Gestão e Desenvolvimento do Capital Humano

O ano de 2017 continuou a centrar-se na integração e potenciação das diferentes políticas de recursos humanos existentes, tendo sido também um ano de foco na preparação da integração do novo negócio da REN Portgás.

A avaliação, monitorização e desenvolvimento dos programas e políticas existentes4, juntamente com os seus principais stakeholders, de forma a constituírem-se como instrumentos vivos e adequados às necessidades atuais e futuras da gestão do negócio, tem sido uma linha de atuação seguida de forma consistente nos últimos anos.

Em 2017 esta linha de atuação foi materializada por:

  • avaliação da necessidade de renovação de alguns quadros específicos, bem como da aquisição de novas competências que permitam responder ao desenvolvimento do negócio e desafios do setor, com um acompanhamento efetivo das diferentes áreas de negócio;
  • primeira revisitação do Campus REN, programa de desenvolvimento que privilegia a seletividade da formação e das diferentes iniciativas de desenvolvimento, de modo
    a garantir-se o cumprimento efetivo
    do seu principal objetivo – a passagem de know-how e a atualização e sustentabilidade do conhecimento específico da organização;
  • avaliação e evolução do programa STAR – programa de reconhecimento do talento e desempenho, de modo a continuar a cumprir com os seus objetivos de orientação, motivação, diferenciação individual e de equipas, e de uma cultura de feedback estruturado;
  • realização de uma nova avaliação do clima organizacional, de modo a continuar a sustentar e potenciar os programas de motivação bem como de uma forma global a experiência vivida pelos colaboradores. Neste âmbito, continuam a assumir um especial relevo as iniciativas desenvolvidas ao nível do programa NÓS – com iniciativas ao nível do equilíbrio, igualdade e inclusão – que tem recebido ao longo dos anos um elevado reconhecimento interno e externo. Na sequência das atividades desenvolvidas por este programa, assim como das iniciativas estabelecidas pela medicina do trabalho, em fevereiro de 2017 a REN foi distinguida nos Corporate Wellness Awards, na categoria de Workplace Wellness com o projeto Bem-estar no Local de Trabalho;
  • continuação da forte aposta na comunicação das atividades de recursos humanos e do envolvimento de todos, com a realização de iniciativas como o encontro de quadros, encontros de gestão, workshops de estratégia entre outros. 

Caraterização dos Recursos Humanos

 

Número de colaboradores

A idade média e a antiguidade média continuaram a manter-se estáveis nos últimos anos, em resultado de uma política consolidada de rejuvenescimento da estrutura do Grupo REN.

603 número de colaboradores REN em 2017

4 – A REN publica junto dos seus colaboradores todas as suas políticas de recursos humanos, estando o Manual de Normas e Política de Recursos Humanos detalhado disponível na Intranet. As principais políticas de RH podem ser encontradas em http://www.ren.pt/pt-PT/carreiras/politicas_rh/.

NÚMERO DE COLABORADORES
  ‘17 ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
Colaboradores a termo e sem termo  603  605  620  640  671 
Estagiários profissionais 
NÚMERO DE COLABORADORES
  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
Quadro permanente  586  593  609  627  651 
Contrato a termo (certo, incerto e c. serviço)  17  12  11  13  20 
Estágios profissionais 
‘17  Mulheres  Homens  Total 
Quadro permanente  146  440  586 
Contrato a termo (certo, incerto e c. serviço)  13  17 
Estágios profissionais 
  ‘17 ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
Idade média  44,36  44,31  44,26  44,32  44,35 
Antiguidade média  16,41  16,48  16,54  16,70  16,79 
TAXA DE ROTATIVIDADE
  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
Homens  4,11%  4,54%  5,34%  6,22%  9,12% 
Mulheres  1,15%  1,94%  1,26%  0,30%  2,42% 
5,26%  6,48%  6,59%  6,53%  11,54% 
TAXA DE ROTATIVIDADE
  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
até 30 anos  0,99%  1,30%  0,63%  0,30%  1,42% 
de 30 a 50 anos  0,99%  1,30%  0,78%  0,30%  2,28% 
acima de 50 anos  3,29%  3,89%  5,18%  5,92%  7,83% 

A taxa de rotatividade em 2017 decresceu ligeiramente face a anos anteriores, revelando um ano de estabilização do dimensionamento da organização, após a realização do programa de pré-reformas entre 2013 e 2016.

DIVERSIDADE
  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
Homens  453  461  470  492  527 
Mulheres  150  147  150  149  149 
Percentagem de Mulheres  24,88%  24,18%  24,19%  23,24%  22,04% 
DIVERSIDADE
(DIREÇÃO)
  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
Homens  18  17  18  22  22 
Mulheres  10 
Percentagem de Mulheres  30,77%  32,00%  35,71%  29,03%  26,67% 

Em 2017, manteve-se a tendência de aumento do peso colaboradores do género feminino na REN, representando já cerca de 25%, na sequência do compromisso renovado em 2016 com o fórum IGEN - Fórum de Empresas para a Igualdade do Género.
Durante o período, manteve-se o número de mulheres em funções de direção, representando um peso de cerca de 31%.

DISTRIBUIÇÃO DE COLABORADORES
POR GRUPO PROFISSIONAL
GRUPO FUNCIONAL  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
Direção  26  25  28  31  30 
Homens  18  17  18  22  22 
Mulheres  10 
Gestão  43  45  46  48  48 
Homens  34  35  36  39  38 
Mulheres  10  10  10 
Coordenação  19  19  19  25  27 
Homens  15  15  15  23  25 
Mulheres 
Quadros superiores  329  323  317  297  307 
Homens  232  233  232  217  227 
Mulheres  97  90  85  80  80 
Operacionais / Administrativos  186  196  210  240  264 
Homens  154  161  169  191  215 
Mulheres  32  35  41  49  49 

A estrutura organizacional da REN tem vindo progressivamente a ser alinhada com as novas necessidades e desafios de negócio, verificando‑se, especialmente nos últimos três anos, um aumento significativo do peso dos quadros superiores na organização. Em 2017, este grupo representa 54,6% da organização.

DISTRIBUIÇÃO POR FAIXA ETÁRIA
(DIREÇÃO)
  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
até 30 anos 
de 30 a 50 anos  16  15  16  16  14 
acima de 50 anos  10  10  12  15  16 
26  25  28  31  30 
DISTRIBUIÇÃO POR FAIXA ETÁRIA
(GESTÃO)
  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
até 30 anos 
de 30 a 50 anos  31  31  34  31  29 
acima de 50 anos  12  14  12  17  18 
DISTRIBUIÇÃO POR FAIXA ETÁRIA
(RESTANTES COLABORADORES)
  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
até 30 anos  49  51  59  65  72 
de 30 a 50 anos  326  319  311  307  316 
acima de 50 anos  159  168  176  190  210 

Mantém‑se a tendência de rejuvenescimento da estrutura de forma a preparar a organização para os seus desafios futuros. A população da REN encontra‑se maioritariamente entre os 30 e os 50 anos.

QUALIFICAÇÕES ACADÉMICAS
  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
Doutoramento 
Homens 
Mulheres 
Mestrado  114  101  94  81  78 
Homens  75  67  63  56  55 
Mulheres  39  34  31  25  23 
Licenciatura  261  270  277  290  294 
Homens  179  188  195  209  211 
Mulheres  82  82  82  81  83 
Bacharelato  14  14  14  17  22 
Homens  13  13  13  16  21 
Mulheres 
Secundário  166  172  174  185  207 
Homens  146  151  149  157  179 
Mulheres  20  21  25  28  28 
3º Ciclo  29  32  39  45  49 
Homens  23  26  30  34  38 
Mulheres  11  11 
2º Ciclo  10  11  13  14  15 
Homens  11  11  12 
Mulheres 
1º Ciclo  10 
Homens  10 
Mulheres 
Licenciados  65,17%  63,82%  62,42%  60,84%  58,43% 
Não licenciados  34,83%  36,18%  37,58%  39,16%  41,57% 

A preparação para os desafios futuros tem passado também pelo aumento sustentado do nível das qualificações académicas. Em 2017, o peso dos colaboradores com Licenciatura situa‑se nos 65%.

CONTRATAÇÃO
‘17  Mulheres  Homens  Total 
Quadro permanente  146  440  586 
Contrato a termo (certo, incerto e c. serviço)  13  17 
Estágios profissionais 

A política de contratação da REN, bem como a consistência e maturidade da atividade, continua a refletir-se no tipo de relação contratual, sendo que a maioria dos colaboradores da REN são do quadro permanente. 

Caraterização dos recursos humanos da REN Portgás

No final de 2017 a REN Portgás possuía um dimensionamento de 82 colaboradores, incluindo órgãos sociais, na sua maioria do quadro permanente. Registam-se ainda oito estágios profissionais.

NÚMERO DE COLABORADORES
  ‘17 
Colaboradores a termo e sem termo  82 
Estagiários profissionais 
90 
NÚMERO DE COLABORADORES
  ‘17 
Quadro permanente  80 
Contrato a termo (certo, incerto e c. serviço) 
Estágios profissionais 
90 

Com uma idade média de 42,5 anos e uma antiguidade de 13,6, e com uma representatividade de cerca de 25,6% de colaboradores do género feminino, a REN Portgás carateriza-se por uma estrutura estável adaptada ao seu contexto de negócio.

  ‘17 
Idade média  42,54 
Antiguidade média  13,63 
DISTRIBUIÇÃO POR FAIXA ETÁRIA
  ‘17 
até 30 anos  14 
de 30 a 50 anos  54 
acima de 50 anos  22 
DIVERSIDADE
  ‘17 
Homens  67 
Mulheres  23 
‘17  Mulheres  Homens  Total 
Quadro permanente  18  62  80 
Contrato a termo (certo, incerto e c. serviço) 
Estágios profissionais 

O segmento de população de quadros superiores é dominante, cerca de 3%, sendo a população operacional e administrativa representativa de 38%. O índice de qualificação é elevado, com os níveis de qualificação superior a representar cerca de 69% da população.

GRUPO FUNCIONAL
  ‘17 
Direção 
Homens 
Mulheres 
Gestão  12 
Homens  10 
Mulheres 
Quadros superiores  39 
Homens  26 
Mulheres  13 
Operacionais/Administrativos  34 
Homens  26 
Mulheres 
GRUPO FUNCIONAL
(IDADE)
  ‘17 
Direção 
até 30 anos 
de 30 a 50 anos 
acima de 50 anos 
Gestão  12 
até 30 anos 
de 30 a 50 anos 
acima de 50 anos 
Quadros superiores  39 
até 30 anos  14 
de 30 a 50 anos  21 
acima de 50 anos 
Operacionais/Administrativos  34 
até 30 anos 
de 30 a 50 anos  23 
acima de 50 anos  11 
QUALIFICAÇÕES ACADÉMICAS
  ‘17 
Mestrado  15 
Homens  12 
Mulheres 
Licenciatura  41 
Homens  28 
Mulheres  13 
Bacharelato 
Homens 
Mulheres 
Secundário  20 
Homens  16 
Mulheres 
3º Ciclo 
Homens 
Mulheres 
Licenciados  68,89% 
Não licenciados  31,11% 

O último trimestre foi, do ponto de vista de recursos humanos, caraterizado pelo início da implementação de um plano de migração para o Grupo REN. Não obstante, foi dada continuidade às ações em cursos de modo a não colocar em causa os presentes desafios e a continuidade de negócio.

Assim, no último trimestre foram ministradas cerca de 410 horas de formação, tendo-se verificado em média no final do ano cerca de 26 horas de formação por colaborador. Esta formação é essencialmente formação técnica (73% das horas ministradas) dirigida às necessidades específicas.

Do ponto de vista do diálogo social, o acordo coletivo de trabalho que se aplicava à EDP Gás mantém-se em vigência, consubstanciando uma política de benefícios robusta da qual se destaca o programa de benefícios flexíveis com um vasto leque de oferta – planos de pensões, seguros de vida, despesas de saúde e bem-estar, seguro de baixa por doença, seguro de acidentes pessoais, seguro de vida para crédito habitação, seguro de saúde para o próprio e família, plano de eletricidade, despesas de educação e creches, passe social e campos de férias.

Reflexo destas políticas, a taxa de absentismo é baixa, 2,33%

  ‘17 
Taxa de absentismo  2,33% 
INDICADORES
SINDICALIZAÇÃO
O nível de sindicalização é de 14,4%.
  ‘17 
% Colaboradores sindicalizados  14,44% 
% Colaboradores ACT no ativo  88,89% 
Colaboradores sindicalizados  13 
Colaboradores ACT  80 

DESENVOLVIMENTO PESSOAL E PROFISSIONAL

Programa Trainee REN

O Programa Trainee REN é um programa consolidado e com excelentes níveis de satisfação. Este é composto por estágios profissionais, académicos e de verão, tendo os seus participantes a oportunidade de desenvolver projetos específicos com um foco na criação de valor para si e para a organização.

INDICADORES
ESTÁGIOS
  ‘17 
Estágios profissionais  11 
Estágios académicos  21 
Estágios de verão  10 
42 

Programa Viva

O Programa Viva - Acolhimento e Integração tem um enorme sucesso e um efeito muito positivo sobre os novos colaboradores que entram na Empresa. Para além de dar um conhecimento geral sobre a empresa, os seus valores, missão e áreas de negócio, promovendo assim uma identificação mais rápida com a REN, proporciona network entre os novos e antigos colaboradores. Em 2017 foi lançado um novo curso de e-learning interativo sobre o Viva, a par das visitas às principais instalações.

INDICADORES
PROGRAMA VIVA
  ‘17 
Nº de edições 
Taxa de satisfação – Visitas Viva (%)  92% 
Taxa de satisfação – e-learning Viva (%)  100% 

Campus REN

O Campus REN é o modelo de formação da Grupo dedicado ao desenvolvimento integral do capital humano, tendo como missão oferecer valor acrescido e diferenciador na gestão do conhecimento, através da criação de programas de formação transversais e específicos alinhadas com a estratégia e o negócio da empresa, sendo o seu grande objetivo potenciar o crescimento e a consolidação do negócio através do desenvolvimento das pessoas, com uma oferta diferenciada e direcionada à correta gestão do capital intelectual e à transferência contínua do conhecimento. Em 2017 foi realizada a sua revisitação de modo a potenciar o cumprimento dos seus objetivos.

FORMAÇÃO
(CAMPUS REN)
  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
Nº de horas de formação  32 345,30  27 009,20  18 644,40  29 939,15  41 224,98 
Nº de participantes  2 873  2 792  3 031  2 883  3 576 
Nº de horas de formação por colaborador  52,20  43,78  29,27  45,43  58,73 
ÁREA DE FORMAÇÃO
(NÚMERO DE HORAS)
  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
Comportamental  7 965,70  7 165,50  544,40  1 541,90  8 634,50 
Técnica  19 979,20  13 015,20  14 661,00  23 767,75  28 160,98 
QAS  1 984,00  3 316,00  1 881,50  1 413,00  4 429,50 
Gestão  2 416,40  3 512,50  1 557,50  3 216,50  0,00 
ÁREA DE FORMAÇÃO
(NÚMERO DE PARTICIPANTES)
  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
Comportamental  653  605  125  340  1 409 
Técnica  1 804  1 434  2 086  1 762  1 357 
QAS  261  420  562  242  810 
Gestão  155  333  258  539 
GRUPO FUNCIONAL
(NÚMERO DE HORAS)
  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
Direção  1 121,60  1 618,20  928,40  1 638,70  1 508,00 
Gestão  3 327,00  3 163,40  1 134,60  3 106,30  2 685,90 
Coordenação  786,00  490,00  555,00  1 397,70  1 405,00 
Quadros Superiores  20 928,70  16 090,60  10 436,40  16 493,40  25 370,88 
Operacionais / Administrativos  6 182,00  5 647,00  5 590,00  7 303,05  10 255,20 
32 345,30  27 009,20  18 644,40  29 939,15  41 224,98 

Programa Star - Gestão do Desempenho

2017 foi um ano de evolução do modelo de gestão de desempenho. Foi redefinido o modelo de competências de forma a melhor direcionar os comportamentos desejados à cultura da REN e reforçaram-se as suas componentes e objetivos de diálogo e feedback contínuo, potenciando este instrumento como potenciador da gestão e motivação das equipas.

INDICADORES  STAR 2016 
Nº de colaboradores abrangidos  598 
% Avaliações concluídas  100% 
Média – Avaliações finais competências  3,94 
Média – Avaliações finais objetivos  4,07 
% Prémios calculados face ao n.º avaliados  99,33% 

Diálogo Social e Benefícios
No âmbito do diálogo social entre a gestão e as estruturas representativas dos colaboradores, realizaram-se diversas reuniões visando a procura de soluções e o debate de matérias de interesse para ambas as partes Decorrendo deste diálogo e com base no ACT estabelecido entre as partes, foi negociado um incremento geral de 1,3%, transversal a todos os colaboradores abrangidos pelo ACT REN.
A taxa de sindicalização da REN é estável e de 40,3%.

  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
% Colaboradores sindicalizados  40,30%  40,95%  42,42%  45,09%  46,30% 
% Colaboradores ACT no ativo  99,34%  98,52%  99,19%  51,95%  54,59% 
Colaboradores sindicalizados  243  249  263  289  313 
Colaboradores ACT  599  599  615  333  369 

A política de benefícios da REN, centrada no apoio aos seus colaboradores em áreas importantes da sua vida familiar e pessoal, integra um conjunto de apoios e benefícios adicionais no campo da saúde, da educação e da cultura, entre outros. O programa Flex, que permite uma escolha de benefícios adaptada a cada ciclo de vida do colaborador, é já um programa consolidado.

Benefícios  Colaboradores com regime transitório do anterior ACT (1)  Colaboradores com plano Flex (2)  Colaboradores com contrato individual de trabalho (3) 
Seguro de vida    x x
Seguro de acidentes pessoais  x x x
Seguro de saúde    x x
Esquema complementar de saúde  x    
Plano de pensões - Benefício definido  x    
Plano de pensões - Contribuição definida    x  
Eletricidade a preços reduzidos  x    
Subsídio de estudo  x    
Vouchers educação e infância    x  
Passe social    x  
Formação    x  

(1) conjunto de benefícios consagrados no ACT 2000 que transitaram para o novo ACT firmado no ano de 2015;

(2) os colaboradores abrangidos por este programa de benefícios flexível podem optar entre os benefícios disponíveis até ao limite do seu valor de créditos anual;

(3) benefícios-tipo acordados para contratos individuais de trabalho.

Segurança e Saúde

A consciência de que um ambiente seguro e saudável constitui um fator determinante para a satisfação das várias partes interessadas conduz ao compromisso da REN numa gestão eficaz da segurança e saúde no trabalho.
O sistema de gestão da segurança e saúde no trabalho está certificado por uma entidade acreditada e abrange a grande maioria das empresas do grupo. O seu principal objetivo é prevenir a ocorrência de acidentes e doenças profissionais que envolvam quer os trabalhadores da empresa, quer os trabalhadores dos empreiteiros e dos prestadores de serviços que com a REN colaboram.

Segurança
A REN considera que o seu principal ativo são as pessoas, pelo que não considera aceitável a existência de riscos com um nível de severidade elevado para a saúde e segurança dos seus trabalhadores, bem como dos trabalhadores dos seus empreiteiros e prestadores de serviços, obrigando-se a desenvolver ou promover todas as medidas de prevenção ou mitigação desses riscos que estejam ao seu alcance.
Com o objetivo de combater a sinistralidade são implementadas políticas, seguidos procedimentos de segurança e asseguradas as melhores práticas nesta matéria, nomeadamente através da realização de inúmeras ações de formação e de rigoroso acompanhamento das atividades desenvolvidas de forma a garantir um exigente controlo operacional. A análise dos acidentes ocorridos permite que se proceda a uma reavaliação dos riscos inerentes às atividades em que aqueles ocorreram.

SEGURANÇA E SAÚDE
(DADOS 2017)
Os dados apurados relativos a 2017 foram os seguintes:
Empresa  N.º médio* de trabalhadores  N.º de horas trabalhadas  N.º de acidentes mortais  N.º de acidentes não mortais  N.º de dias perdidos 
Género (M/F) 
REN Eléctrica  194  26  344 973  40 849  35 
REN Serviços  122  83  210 913  137 551 
REN Gasodutos  79  13  131 332  20 601  46 
REN Atlântico  28  49 926  4 198 
REN Armazenagem  9 597 
REN Trading  9 676  3 125 
REN TELECOM  5 216 
ENONDAS  1 670 
REN SGPS  19  23  33 176  37 972  54 
RD Nester  10  16 284  3 267 
Total REN  468  152  812 762  247 562  11  135 

* Este é o número médio de trabalhadores no ano e não o número efetivo de trabalhadores a 31 de dezembro de 2017.

Em 2017 houve mais quatro acidentes com trabalhadores da REN quando comparado com o ano de 2016, tendo sido contabilizados mais 81 dias perdidos. Dos 12 acidentes, 25% foram em trajeto (casa-trabalho ou trabalho-casa), e dos 135 dias perdidos, cercade 58% resultaram dos acidentes em trajeto. Relativamente aos prestadores de serviços, em 2017 houve mais cinco acidentes do que em 2016 e menos 14 dias perdidos.

Índices de incidência e gravidade – REN

ÍNDICE DE INCIDÊNCIA

ÍNDICE DE GRAVIDADE

Índices de incidência e gravidade – prestadores de serviço e empreiteiros

ÍNDICE DE INCIDÊNCIA

ÍNDICE DE GRAVIDADE

Relativamente aos trabalhadores da REN, em 2017, tanto o índice de incidência como o de gravidade evoluíram negativamente face a 2016, mas ainda assim são melhores do que os apurados para 2015. É de referir que, apesar destes números, a meta estabelecida para o índice de gravidade (menor ou igual a 280 dias perdidos por milhão de horas trabalhadas) foi atingida.

No que diz respeito aos empreiteiros e prestadores de serviços, em 2017 o índice de incidência evoluiu negativamente face a 2016, mas o índice de gravidade tem evoluído positivamente desde 2015. A meta estabelecida para o índice de gravidade foi também atingida.
Em 2017, aproximadamente 46% dos 91 empreiteiros e prestadores de serviços da REN com horas trabalhadas tinham sistemas de gestão de segurança implementados e certificados, segundo a norma OHSAS 18001/NP 4397.

Durante o ano de 2017, a REN promoveu a realização de ações de formação e sensibilização em segurança a todos os seus empreiteiros e prestadores de serviços.

Com o objetivo de cumprir a legislação específica que estipula a realização periódica de simulacros, determinar a eficácia dos procedimentos de resposta a emergências, e identificar desvios e oportunidades de melhoria, complementar a instrução e formação de todos os intervenientes e garantir o cumprimento das exigências normativas enquanto grupo de empresas certificadas, em 2017 foram realizados simulacros nas instalações do Carriço e do Terminal de GNL em Sines.

Mais informação sobre este tema pode ser consultada no sítio da internet da REN5.

5www.ren.pt – REN>sustentabilidade>Partes Interessadas>Recursos Humanos>Segurança

PORTGÁS
Empresa  N.º médio* de trabalhadores  N.º de horas trabalhadas  N.º de acidentes mortais  N.º de acidentes não mortais  N.º de dias perdidos 
Género (M/F) 
REN Portgás  54  11  91 212  18 600 
REN Gás GPL  4 811 
REN Gás SGPS  13  11  22 905  18 198 
Grupo REN Portgás  70  22  118 928  36 797 
PSE  301  594 489  379 
REN Portgás & PSE  393  750 214  379 

O apuramento de informação de sinistralidade da empresa Portgás no último trimestre de 2017 não segue a mesma metodologia do restante grupo REN.

  Grupo REN Portgás  PSE  Grupo REN Portgás+PSE 
Índice de incidência  424  596  390 
Índice de gravidade  262  589  401 

Saúde

Para a REN é fundamental assegurar que os colaboradores dispõem das melhores condições para o cumprimento das suas funções e que os padrões de saúde no trabalho são cumpridos. Como tal, a REN utiliza o conceito de saúde no trabalho adotado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como «um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afeções e enfermidades».

Consequentemente a REN aposta em três pilares fundamentais e interligados na área da saúde: medicina no trabalho, medicina curativa e diversas iniciativas de saúde e bem-estar. Esta abordagem pretende conciliar a obrigatoriedade legal da medicina no trabalho com a medicina curativa e várias ações com o objetivo de garantir que os nossos colaboradores vivem e trabalham melhor e com mais saúde.

Os objetivos deste programa são:

  • proporcionar locais de trabalho saudáveis através da criação de condições que proporcionem saúde e bem-estar;
  • fazer um diagnóstico das situações;
  • fornecer conhecimentos e competências às pessoas e famílias para potenciar/criar estilos e hábitos de vida saudáveis;
  • partilhar a responsabilidade com as entidades de saúde e com as pessoas na gestão da saúde.

No âmbito da medicina do trabalho, a REN proporciona a todos os colaboradores a realização de exames e análises clínicas complementares de forma a possibilitar uma ação preventiva ao nível da saúde dos seus colaboradores.

  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
Nº de atos auxiliares de diagnóstico (por bateria de exames)  424  596  390  548  415 
Nº atos médicos  262  589  401  573  445 
Nº atos de enfermagem (por bateria de exames)  304  580  390  548  415 
Visitas do médico aos locais de trabalho  10     
  • A REN reconhece que criação de hábitos saudáveis e o diagnóstico de saúde se traduzem numa mais-valia para os stakeholders da empresa;
  • Ainda para além das diversas iniciativas internas, todos os colaboradores da REN estão abrangidos por um plano de saúde individual extensível ao seu agregado familiar.

A taxa de absentismo manteve-se em 2,1%.

Taxa de absentismo
  ‘17  ‘16  ‘15  ‘14  ‘13 
Taxa de absentismo  2,1%  2,1%  2,3%  2,6%  1,8% 

Programa NÓS
O Programa NÓS REN possui três eixos de atuação: equilíbrio, igualdade e inclusão, tendo impacte ao nível da melhoria da qualidade de vida, experiência e satisfação dos colaboradores. Para além das iniciativas de continuidade que se mantiveram, como é o caso dos workshops, das consultas de psicologia e nutrição, rastreios e vacinação, do prémio de mérito escolar, das ofertas de casamento e de nascimento, dos estágios de inclusão, entre outras, o ano 2017 ficou marcado pelo desenvolvimento do eixo igualdade.

INDICADORES
  ‘17 
Nº de iniciativas  26 
Nº de participações  315 

Relacionamento com a Comunidade

O apoio às comunidades locais é um dos pilares da estratégia de sustentabilidade da REN. Nesse sentido, a REN promove o envolvimento com as comunidades onde está inserida, numa lógica de desenvolvimento das populações que mais interagem com as infraestruturas da empresa. Para este efeito, a REN desenvolve planos de comunicação adequados a cada realidade local, dinamiza reuniões com autarquias locais e outros stakeholders, em estreita coordenação com as áreas operacionais da empresa.

Uma das ações que refletem este envolvimento é o projeto MEDEA, uma iniciativa da SPF - Sociedade Portuguesa de Física e da REN destinada a promover o conhecimento da Física junto dos estudantes do ensino secundário.
O MEDEA incentiva os alunos participantes a elaborar um projeto científico baseado na comparação de medições de campos elétricos e magnéticos de muito baixa frequência (0-300 Hz) no meio ambiente, em particular, na sua escola, em casa e na vizinhança de linhas de transporte de energia elétrica, e a procurar informação cientificamente credível sobre os eventuais efeitos destes campos na saúde humana. O projeto MEDEA já envolveu cerca de 900 alunos, 211 escolas e cerca de 200 professores. Para a sua 8a edição, em 2017, o MEDEA envolveu 247 alunos de todo o país e 25 professores, representando 24 instituições de ensino em Portugal.

Outro exemplo é a iniciativa Heróis de Toda a Espécie, que teve o seu início em setembro de 2016 e já esteve presente em 13 localidades do país, envolvendo mais de 1 000 alunos e cerca de 50 professores. Em 2017, esta ação esteve presente em cinco localidades do país e envolveu 465 alunos e cerca de 20 professores. Trata-se de um projeto dirigido a crianças dos 3o e 4o anos do 1o ciclo do ensino básico, com o apoio do Ministério da Educação e do Ministério do Ambiente e com o acompanhamento técnico da Quercus.
O objetivo é o de sensibilizar as comunidades para a proteção da biodiversidade, preservação da floresta portuguesa e conservação das espécies animais e vegetais ameaçadas ou em vias de extinção.

No âmbito da reconversão das faixas de servidão de linhas elétricas, a REN promoveu ainda duas ações de reflorestação com alunos e professores de escolas dos concelhos de Gouveia e da Trofa sob o lema «Juntos Plantamos o Amanhã». O objetivo foi a sensibilização para as melhores práticas que a adoção de abordagens mais ativas da gestão da vegetação existente nas faixas de servidão podem trazer co-responsabilização ao nível da redução dos custos de manutenção, no aumento dos ciclos de intervenção e na coresponsabilização dos proprietários. Em 2017, esta iniciativa juntou cerca de 900 alunos e foram plantadas mais de 1 500 árvores.

É de destacar ainda a coordenação de dois projetos na Freguesia de Ruivães e Campo, em Vieira do Minho, designadamente o projeto de beneficiação do edifício da Associação Recreativa dos Amigos das Honras e o projeto de requalificação ambiental e patrimonial da Zona de Lazer do Poço das Traves. Este projeto surge a título de compensações sociais e ambientais associadas às obras das linhas e subestações de reforço da Rede Nacional de Transporte (RNT), necessárias para a receção e escoamento da energia produzida pelas novas centrais hidroelétricas de Salamonde II e Venda Nova III, e aceites por parte da ERSE – Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos.

No decorrer de 2017 foram diversas as intervenções de junto das comunidades locais, onde se incluíram ações de reflorestação acima referidas, de forma a divulgar que a adoção de abordagens mais ativas da gestão da vegetação existente nas faixas de servidão podem trazer benefícios ao nível da redução dos custos de manutenção, através do aumento dos ciclos de intervenção e co-responsabilização dos proprietários.

Inovação, Investigação e Tecnologia

Num setor como o da Energia, no qual se insere o Grupo REN, as atividades das empresas que o constituem não dispensam um intenso alinhamento com as necessidades, tendências e preocupações atuais do setor em que se inserem (seja no setor do Gás ou no da Eletricidade), sendo por isso assumida a I&D e Inovação como fator estratégico para o exercício das suas funções.

Neste contexto, assume especial relevância o Centro de Investigação em Energia REN- State Grid, S.A. (R&D NESTER) em 2013. Esta iniciativa demonstra que a empresa e respetivos acionistas estão atentos à necessidade de inovar para ultrapassar os desafios atuais do setor investindo na geração de conhecimento e em áreas de investigação aplicada específicas alinhadas com as políticas energéticas nacionais e internacionais, nomeadamente em temas associados à promoção da energia limpa, atualmente uma prioridade de investimento da Comissão Europeia.

DESTAQUES

Conclusão de projetos de I&D desenvolvidos pelas equipas conjuntas do R&D NESTER e REN: 

Projetos concluídos  Objetivos 
Despacho de energia renovável (P1)  Melhoria da previsão da produção eólica. 
Melhoria da previsão da produção solar. 
Redução do risco de operação do sistema de energia com elevados níveis de penetração de energia renovável . 
Subestação do futuro (P2)  Elaboração e teste de uma especificação para uma nova geração de sistemas de comando e proteção de subestações de transmissão, alinhada com normas internacionais. 
Especificação, aquisição e instalação de equipamentos e aplicações informáticas para o laboratório de simulação em tempo real. 
Planeamento com armazenamento de energia (P3)  Desenvolvimento de uma metodologia/ferramenta de apoio à decisão para o planeamento de redes contemplando soluções de armazenamento de energia. 
Aumento da capacidade de análise multicritério e multiobjetivo de cenários de rede. 
Simulação do sistema de energia (Planeamento e operação de grandes redes de energia AC/DC com renováveis) (P4)  Desenvolver ferramentas de apoio ao planeamento e operação. 
Dotar a empresa de capacidades de simulação de rede, análise e ensaio e de desenvolver e testar procedimentos operacionais. 

No âmbito destes projetos, realçam-se os avanços significativos alcançados e a aplicabilidade de resultados, nomeadamente a utilização na REN da nova ferramenta para previsão de produção de energia solar fotovoltaica (output do projeto P1) e ainda a criação de um laboratório para simulação de sistemas elétricos de energia em tempo real (output dos projetos P2 e P4). Acresce ainda o reconhecimento do carácter de I&D por parte da comunidade técnico-científica através de:
i) publicações de artigos em revistas científicas;
ii) apresentações em várias conferências nacionais e internacionais; iii) submissão de três pedidos de patentes.

Novos projetos aprovados no âmbito do programa europeu Horizonte 2020.

Resultado de candidaturas bem sucedidas por parte da REN e do R&D NESTER, atualmente estas duas entidades fazem parte do consórcio de dois projetos europeus cujas atividades tiveram início em dezembro de 2017.

Novos projetos horizonte 2020 (H2020)  Objetivos 
TDX_ASSIST 
(Coordination of Transmission and Distribution data eXchanges for renewables integration in the European marketplace through Advanced, Scalable and Secure ICT Systems and Tools) 
Visa projetar e desenvolver ferramentas e metodologias de ICT que facilitam a partilha de dados entre o Operador da Rede de Transporte (ORT) e o Operador da Rede de Distribuição (ORD). 
Info: Coordenado pela Universidade de Brunnel (Inglaterra), envolve 12 parceiros, incluindo Operadores de Transmissão da Rede Elétrica, entidades empresariais, universitárias e centros de Investigação. 
OSMOSE 
(Optimal System-Mix Of flexibility Solutions for European electricity) 
Visa o estudo e desenvolvimento de soluções relacionadas com o armazenamento de energia na rede de transporte, com o potencial de partilha de reserva de operação entre sistemas e respetivo benefício, e com a implementação de soluções de suporte à coordenação TSO-DSO. 
Info: Coordenado pela RTE, envolve 33 parceiros de 9 países europeus, incluindo vários Operadores de Transmissão da Rede Elétrica, além de várias entidades empresariais, universitárias e Centros de I&D. 


Investimento e Comparticipações Financeiras em I&D

O investimento em I&D no Grupo REN para o período 2014-2016 elevou-se a aproximadamente 2 milhões de euros6. Os valores reportados resultam de despesas relacionadas com atividades internas e externas, decorrentes do desenvolvimento de vários projetos desenvolvidos internamente e/ou em cooperação com entidades nacionais e internacionais, incluindo instituições académicas reconhecidas pelo sistema científico e tecnológico nacional.

No contexto do R&D NESTER, os investimentos para o mesmo período, 2014-2016, foram superiores a 4 milhões de euros.

Complementarmente ao investimento interno, ambas as empresas recorrem regularmente a fontes de financiamento externas destinadas à I&D. Sob a forma de financiamentos através de candidaturas a programas europeus (ex: Horizonte 2020, Agência Espacial Europeia, Interreg) e nacionais (ex: Portugal 2020), ou sob a forma de incentivos fiscais, através das candidaturas ao denominado SIFIDE7 (Sistema Nacional de Incentivos Fiscais à I&D Empresarial), onde se tem obtido uma taxa de aprovação de 100%, resultado do efetivo caráter de I&D dos projetos apresentados que constituíram as candidaturas, do Grupo REN e do R&D NESTER.

Projetos de I&D em cooperação com outras entidades

A REN tem vindo a desenvolver projetos de I&D nos mais variados domínios, quer internamente quer em parceria com outras entidades nacionais e internacionais, nos quais se inclui empresas, bem como universidades e instituições académicas.

A titulo de exemplo, refira-se o projeto coordenado pela REN Monitorização de correntes de fuga e de contornamento em linhas aéreas de MAT, para o qual foram convidadas a integrar o consórcio as empresas EDP Labelec e ENEIDA. O projeto em apreço tem como objetivo investigar métodos de deteção e monitorização de poluição em isoladores de linhas de muito alta tensão (MAT), com vista a desenvolver soluções que permitam uma melhor monitorização de isoladores e prevenir a ocorrência de falhas.

A nível internacional, destaca-se o envolvimento que a REN tem mantido em programas europeus (ver informação Relatórios anteriores – projetos concluídos no âmbito do FP7). Atualmente, a REN é enduser e o R&D NESTER faz parte do consórcio do projeto ISSWINDemo (Integrated Supporting Services for The Wind Power industry) em fase de conclusão, financiado pela Agência Espacial Europeia (ESA), bem como dos consórcios dos projetos TDX_ASSIST e OSMOSE aprovados no ano transato no âmbito do H2020, como referido anteriormente.

Ao portfólio8 do R&D NESTER, acresce um conjunto de projetos desenvolvidos internamente e/ou em parceria com outras entidades. Destaca-se:

Projetos em fase de conclusão
Projetos em fase de conclusão  Objetivos 
SusCity
(Urban data driven models for creative and resourceful urban transitions) Projeto desenvolvido no âmbito do programa conjunto FCT - Fundação para a Ciência e Tecnologia e MIT-Portugal 
Um dos impactes mais alargados deste projeto consiste em fazer avançar modelos emergentes de negócios para soluções de energia e mobilidade num contexto rico em dados e conduzidas por tecnologias de comunicação de informação (TCI), com alternativas cada vez mais personalizadas para o cidadão, capacitando-o a um papel ativo no desenho urbano. 
SmartNet
(Smart TSO-DSO interaction schemes, market architectures and ICT Solutions for the integration of ancillary services from demand side management and distributed generation) Projeto financiado pelo programa H2020. 
Fornecer ferramentas otimizadas e metodologias para melhorar a coordenação entre os operadores de rede a nível nacional e local (respetivamente os TSO e DSO) e a troca de informações para monitorização e para a aquisição de serviços auxiliares. 
Novos projetos com início em 2017
  Objetivos 
BigDataOcean
(Exploiting oceans of data for maritime applications) Projeto financiado pelo programa H2020. 
Explorar metodologias para recolha, estruturação e utilização de dados. 
Possível criação de aplicação para setor da energia renovável offshore. 
ARCWIND
(Adaptation and implementation of floating wind energy conversion technology for the Atlantic region) Projecto financiado pela CE - programa Interreg Atlantic Area. 
Contribuição para a transição da energia eólica marinha fixa para flutuante para uso em águas profundas no Espaço Atlântico através da avaliação do potencial de energia eólica. 
FLEXITRANSTORE
(An Integrated Platform for Increased FLEXIbility in smart TRANSmission grids with STORage Entities and large penetration of Renewable Energy Sources) Projecto financiado pelo programa H2020. 
Expandir e acelerar a integração de fontes de energia renováveis no sistema elétrico europeu através de redes de transmissão de eletricidade pan-europeias com elevados níveis de flexibilidade e interligação.

6 – Despesa em Investigação e Desenvolvimento (I&D) retirada dos formulários das candidaturas SIFIDE - valores sem aplicação dos limites (despesas de funcionamento limitadas a 55% das despesas com pessoal).

7 – Para o período (2014-2016) e em resultado das candidaturas ao SIFIDE, foi atribuído em média à REN e ao R&D NESTER, respetivamente, um crédito fiscal de 34% e 59% do valor investido em I&D deduzido de subsídios.

8 – Informação detalhada sobre os Projetos em curso (ou concluídos) no R&D NESTER, pode ser consultada em http://www.rdnester.com/pt-PT/fields_and_projects/projects/

Participação em Associações e Organismos Nacionais/Internacionais

São reconhecidos como prioridades estratégicas, quer da REN quer do R&D NESTER, a constituição e o fortalecimento contínuo de uma rede de inovação com entidades congéneres e relacionadas, nacionais e internacionais. É neste contexto que se inserem os protocolos com várias organizações e associações (ex: COTEC, APREN, CCILC, IEEE), bem como a participação ativa em grupos de trabalho. A título de exemplo, refira-se a participação na CIGRÉ (Conseil International des Grands Réseaux Électriques), no Study Committee B5 - Protection, Automation and Control Architectures with Functionality Independent of Hardware (WG B5.60) e no Study Committee C5 - Electricity Markets and Regulation (WGs 22, 24 e 25), a participação em grupos de trabalho do ETIP-SNET (WGs 1, 4 e 5) e da Research, Development & Innovation Committee da ENTSO-E (WG R&D Implementation Plan e WG Standardisation). 

Inovação, Investigação e Tecnologia REN PORTGÁS

O setor da energia encontra-se numa fase de profunda mudança e a distribuição de gás natural assume um dos papéis-chave na transformação do setor energético. As tecnologias de geração distribuída tendem a ser mais competitivas,a injeção multigás nas redes de distribuição oriundas de várias fontes através da produção de biometano constitui-se um paradigma em crescimento e o power-to-gas pode assumir um papel fundamental no armazenamento de energia, criando uma ponte entre as redes elétricas e de gás. Estes projetos implicam uma visão mais ampla e desafiadora para a gestão das redes de gás natural e levarão os mercados do sistema energético a adaptar-se a um novo paradigma, alinhado com a descarbonização da economia ambicionada pela Comissão Europeia e rentabilizando os investimentos realizados nas infraestruturas.

O desafio futuro da gestão de redes de gás natural reside no desenvolvimento e implementação de tecnologias que permitam capacitar as infraestruturas para além do uso convencional. A REN Portgás Distribuição identificou diferentes vetores tecnológicos que constituem uma visão da Smart Gas Grid elaborando um roadmap para a sua implementação. Atualmente o valor líquido das diferentes tecnologias é distinto em função da sua maturidade, aplicabilidade, impacte nas operações, logo, assumindo prioridades distintas na investigação e desenvolvimento por parte da REN Portgás Distribuição com o objetivo de implementar projetos-piloto.

Neste sentido a REN Portgás Distribuição, após a realização de um primeiro relatório em 2015 de overview sobre esta temática, iniciou a implementação do projeto Smart Gas Grid no segundo semestre de 2017, envolvendo oito grupos de trabalho que abrangem cerca de um terço dos colaboradores da empresa com o objetivo de materializar um projeto de ID+I interno ao nível das redes inteligentes de gás natural, numa estrutura integrada de gestão com o objetivo de, num prazo previamente definido, desenvolver o ciclo de vida completo de um projeto focado na gestão de smart meters numa comunidade da cidade do Porto e na gestão de smart regulation através da operação remota de postos de regulação e medida da rede, envolvendo parceiros institucionais, fornecedores e clientes.

O projeto Smart Gas Grid, durante o segundo semestre de 2017, desenvolveu ações dos primeiros três grupos de trabalho (definição de requisitos, benchmark de tecnologias existentes e análise custo-benefício), sendo expectável que no primeiro semestre de 2018 o piloto esteja em operação. 

Regras de ouro

Tendo por base o incremento de segurança nas operações, foram definidas um conjunto de regras que devem ser a base para os procedimentos de trabalho, ações de proteção, escolha de equipamento e manutenção, sinalização de aviso e regras de segurança nas operações.

Estas regras que pretendem ser de fácil memorização e aplicação resultaram de um trabalho transversal interno, envolvendo os PSE, e aplicam-se a todas as operações que envolvam o contacto com instalações de gás e devem ser respeitadas por todos os colaboradores da REN Portgás ou ao seu serviço. Por outro lado foram desenvolvidos dois dispositivos de bloqueio inovadores de válvulas, um para a rede de distribuição e outro para as instalações de edifícios/clientes.

OCR - Optical Character Recognition

Tendo como objetivo o desenvolvimento de um sistema anti erro para a realização das leituras aos contadores (aproximadamente 2,2 M leituras/ano), foram desafios players desta indústria, sendo que, após a fase de testes e aperfeiçoamento da solução, de modo a garantir flexibilidade para suportar uma gama alargadas de fornecedores de contadores, a solução está na sua fase final de testes, com resultados que superam os 90% de êxito na primeira leitura. Esta solução constituiu uma oportunidade para a realização de um rollout num futuro contrato de prestação de serviço de leituras. 

Participação em Grupos de Trabalho Internacionais

I - ENTSO
A REN tem continuado a cooperar e a participar nas atividades das associações europeias dos Operadores de Redes de Transporte de eletricidade e de gás (ENTSO-E e ENTSO-G) com vista à prossecução dos objetivos relativos à implementação do 3o pacote legislativo do setor energético da UE.

1.1 - ENTSO-E (European Network of Transmission System Operators for Electricity):
No contexto do Regulamento (CE) 714/2009, a REN tem prosseguido a sua participação nas atividades da ENTSO-E, em particular pela presença na Assembleia Geral, no System Development Committee, no System Operations Committee, no Market Committee, no Research and Development Committee,
no Legal and Regulatory Group e ainda no European Affairs Expert Group.
No que respeita aos Códigos de Rede, a REN tem contribuído para o processo de aprovação e implementação dos códigos de rede europeus nas áreas de planeamento, operação e mercados, através do acompanhamento dos processos de comitologia e da preparação da respetiva implementação nacional em colaboração com a DGEG e com a ERSE. Paralelamente, tem também auxiliado a ENTSO-E na verificação da redação final destes diplomas.
Como realizações mais importantes de 2017 destacam-se:

  • Continuação da implementação nacional do Código de Requisitos para Geradores (RfG);
  • Início dos trabalhos de implementação nacional dos Códigos de Ligações à Rede (DCC) e de Ligações em HVDC (HVDC).

1.2 - ENTSO-G (European Network of Transmission System Operators for Gas)
A ENTSO-G continuou a sua atividade durante o ano de 2017 através dos grupos de trabalho que integram as suas principais três áreas de negócio: market, system development e system operation. No contexto do Regulamento (CE) 715/2009, a REN tem prosseguido a sua participação nos seguintes órgãos e grupos da ENTSO-G: Assembleia Geral, Liaison Group, Legal Team, System Development - WG Investment; WG Market - Capacity, WG Balancing, WG Tariffs, System Operations - WG Transparency e Interoperability; e Kernel Group on Revision of Regulation on Security of Supply.
Em 2017 destaca-se a finalização do Código de Rede de Harmonização das Tarifas de Transmissão (TAR), da alteração ao código de Capacity Allocation and Congestion Mechanism (CACM) e da publicação da revisão do Regulamento de Segurança de Abastecimento (Regulamento EU 1935/2017). 

II - INSTITUIÇÕES EUROPEIAS
A REN está registada no registo de transparência europeu e nesse quadro intervém nas diferentes fases do processo legislativo europeu junto das distintas instituições da União.
No quadro das iniciativas europeias políticas e legislativas de reforço das interligações, refira-se que a REN se fez representar no High Level Group on Interconnectivity of the Iberian Peninsula, acompanhando estudos sobre projetos de interligações adicionais de eletricidade e de gás natural.
Tem-se acompanhado o desenvolvimento o Clean Energy Package que a Comissão Europeia lançou em 30 de novembro de 2016. 

III - GRUPOS DE TRABALHO PRESIDIDOS PELA COMISSÃO EUROPEIA
No âmbito da iniciativa legislativa destinada à implementação das infraestruturas energéticas europeias prioritárias, a REN prosseguiu com a sua participação ativa nos NSI West Electricity Cross Regional Group e NSI West Gas Cross Regional Group, sob a presidência da Comissão Europeia.

IV - MED-TSO
No âmbito do contrato celebrado entre a Med-TSO e a Comissão Europeia, no qual está previsto o desenvolvimento entre 2015-2018 do Mediterranean Project, foram realizadas várias atividades pelos Comités Técnicos com vista ao desenvolvimento do referido projeto que se destina a planear o reforço da segurança e integração dos sistemas elétricos desta região.
A REN, membro fundador desta associação de operadores da rede de transporte de eletricidade do Mediterrâneo, assegura a sua participação de forma ativa e próxima nesta associação pela vice-presidência da mesma, pela presidência do Comité Operational Activities Coordination e também pela representação em todos os comités técnicos de Med-TSO acima mencionados. Deu ainda seguimento à sua participação activa no Regional Group West. No âmbito deste projeto, em 2017 foram terminadas diversas tarefas parcelares e elaborados os respetivos relatórios.
Associado à participação nesta associação destaca-se o papel relevante no âmbito das atividades da plataforma da União para o Mediterrâneo (UpM).

V - GIE (Gas Infrastructure Europe)
No GIE, associação representativa das empresas de infraestruturas de gás europeias junto das instituições europeias e de outros stakeholders, a REN tem assegurado a continuidade da sua participação, acompanhando as atividades e reuniões desta entidade em particular sobre o desenvolvimento da Energy Union e as perspetivas para o Sistema Energético Europeu.